Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 18 de junho de 2015

LANÇAMENTO INTERNACIONAL - BMW SÉRIE 7


TEXTO: GUSTAVO DO CARMO | FOTOS: DIVULGAÇÃO


Lançado em 1977 para substituir o sedã Série 6, o Série 7 representa para a BMW o mesmo que o Classe S é para a rival Mercedes: um sedã com muito luxo e conforto. E também um modelo para apresentar novas tecnologias e conceitos estéticos. Foi a terceira geração, de 1994, que apresentou ao mundo o navegador por GPS, usado hoje até em carros pequenos. Por outro lado, a geração seguinte, de 2002, lançou o polêmico estilo de Chris Bangle, que não agradou.


Para evitar outra rejeição, a sexta edição (G11) do Série 7, que será apresentada em Frankfurt, em setembro, segue o conceito da versão anterior e continua com linhas mais sóbrias e agora próximas do atual Série 3, sem deixar de lado a agressividade nos para-choques (o dianteiro diferenciado para cada versão e o traseiro com enormes molduras do duplo escapamento que acompanham as linhas da traseira), na tradicional grade bipartida com moldura cromada, na lateral com detalhe prateado (nas carrocerias escuras) ou preto (nas claras) na base das portas e nas rodas entre 17 e 21 polegadas.


Tirando o já citado escapamento, a traseira é discreta, com lanternas horizontais, invadidas por um friso cromado que as une e serve de cobertura para a placa. No estilo, a tecnologia está presente nos faróis com iluminação a laser (opcional), importado do cupê superesportivo híbrido i8. Os faróis básicos, os de neblina e as luzes de direção são de LED. E as aletas da grade também se mexem para controlar o fluxo de ar e melhorar a aerodinâmica. 



O interior tem materiais nobres de acabamento, como madeira fina e couro Dakota ou Nappa, além de fibra de carbono e alumínio. O assoalho é revestido de carpete de alta densidade. O visual, entretanto, é discreto.



Ao contrário do rival Mercedes Classe S, o quadro de instrumentos é físico, analógico e com desenho tradicional. A tela de 12,3 polegadas do sistema multimídia iDrive está acima do centro do painel, também de estilo simples. Aliás, a tela agora é operada também por gestos e não apenas pela rosca no console. Também estão presentes display head-up, que agora projeta imagens maiores à frente do parabrisa, e carregador de telefone sem fio dentro do console.  


O pacote Executive Lounge, opcional exclusivo da versão alongada L, 14 cm maior (comprimento de 5.24m e entre-eixos de 3,21m) é uma verdadeira primeira classe de avião sobre rodas. O ar condicionado é de quatro zonas e pode ser perfumado com oito fragrâncias. A área traseira só dispõe de dois lugares, cujos bancos têm ajustes elétricos, massageadores e climatizadores, além de uma mesa retrátil e geladeira entre os dois lugares.


Através de um tablet de sete polegadas é possível configurar várias funções e recursos de entretenimento do carro como o som de grife (Bowers and Wilkins, vídeos e conexão à internet. Atrás de cada banco dianteiro há apoio para os pés (mais um opcional) e uma tela de cerca de 14 polegadas. O toque final de requinte é dado pela iluminação em LED do interior e do teto panorâmico de cristal, que pode ter iluminação selecionada e até simular um céu estrelado, recurso semelhante ao que é usado pela Rolls-Royce (que, aliás, pertence à BMW). 


A tecnologia não foi empregada apenas no conforto. Na segurança e na comodidade também. A suspensão, tanto dianteira, quanto traseira, é a ar (pneumática) e o motorista pode ajustar a altura livre do solo à sua escolha na tela multimídia. A direção pode ter controle dinâmico e adaptativo, assim como a estabilidade, com chassi ativo. O sedã também pode antecipar eventuais problemas na estrada, tais como pistas muito sinuosas, buracos, obras, entre outros, fazendo com que o carro reduza a velocidade e ofereça alternativas ao condutor. Tudo é feito através de GPS e câmera de alta resolução. As rodas traseiras também são esterçantes (viram para cada direção, como as dianteiras), melhorando a estabilidade.


O sistema de estacionamento automático, além de atualizado para se acomodar em vagas perpendiculares traz outra novidade: pode ser feito por controle remoto, pela chave (com telinha colorida), sem que o motorista esteja no veículo. É inédito na BMW, mas os chineses da BYD já fizeram isso antes. E o sistema também será imitado pela Land Rover.




Antes de falar do trem de força, é preciso falar da carroceria que ganhou fibra de carbono e plástico reforçado na célula de sobrevivência dos passageiros. Portas, capô e porta-malas são construídos em alumínio. Tudo isso reduziu o peso em até 130 quilos. 


O novo Série 7 terá quatro motores: um a diesel, dois a gasolina e um híbrido. O tradicional seis cilindros em linha 3.0 TwinTurbo, tem 265 cavalos e torque de 63 kgfm, com diesel e será chamado de 730d ou 730Ld. Com gasolina, terá 326 cavalos e 45,7 kgfm. Se chamará 740i ou 740Li. O outro a gasolina é um V8 4.4 TwinTurbo, com 450 cavalos e 66 kgfm de torque, e será o 750(L)i. O híbrido (740e ou 740Le), terá o motor 2.0 a gasolina de quatro cilindros, com outro elétrico de 95 cavalos, sendo que há uma opção plug-in


O 740e acelera de 0 a 100 km/h em 5,5 segundos e tem velocidade máxima de 240 km/h. O consumo combinado é que impressiona: 47,6 km/l. Mas a autonomia só com o motor elétrico é de 40 km e andando a no máximo 120 km/h. Outro defeito da versão híbrida é a redução da capacidade do porta-malas de 515 para 420 litros. O Série 7 ainda tem um kit esportivo chamado M Sport, com para-choques mais agressivos, kit aerodinâmico, rodas esportivas aro 19 e acabamento personalizado.


Todos os motores têm sistema Start-Stop e câmbio automático de oito marchas com paddle-shifts no volante. A tração pode ser traseira ou integral (xDrive), sendo que a 750i só pode ter esta última e a híbrida só terá tração nas quatro rodas na versão longa.


Ao contrário das gerações anteriores, desta vez, o novo BMW Série 7 não inovou. Apenas incorporou novas tecnologias já usadas em outros carros da marca bávara e de outros fabricantes. É verdade que ele está mais moderno, confortável e luxuoso. Mas a BMW não se deu ao luxo de ousar.



A história do BMW Série 7 em fotos 


1a Geração (E23 - 1977-1986)







2a Geração (E32 - 1986-1994)






3a Geração (E38 - 1994-2002)







4a Geração (E65/E66 - 2002-2008)





Face-lift 2008 (E66)




5a Geração (F01/F02 - 2008-2015)





Face-lift (F02- 2012)



Nenhum comentário: